Connect with us

Política

Alan Rick vota contra o aumento do Salário Mínimo e exalta a si mesmo: “votei contra a PEC do Lula”

Editada 26.12.2022

Published

on

O deputado federal Alan Rick, que será senador a partir do próximo ano, nem esperou o novo presidente assumir e já se declarou oposição. Até ai tudo normal, afinal Lula não acredita em terra plana, não é homofóbico, não discrimina mulheres, gays, nem tão pouco é racista. Pautas e posições bem diferentes e definidas pelo presidente Bolsonaro, de quem o deputado é declaradamente apoiador.

O deputado, parece que realmente ainda não curtiu a balsa do seu presidente como se deve, pois a coerência, falada em seu discurso, foi esquecida na hora de votar contra o aumento do salário mínimo acima da inflação e contra a manutenção dos 600 reais do bolsa família. Será que ele votou a favor do aumento do seu próprio salário? Esse é outro tema.

Porquê que o “nobre deputado” era a favor dos 600 reais de auxílio no governo Bolsonaro e agora não é no governo Lula?

Será que a coerência some diante do revanchismo e dos interesses políticos? E o POVO, como fica?

Em suas redes sociais ele se justificou dizendo: “Votei contra a PEC do Lula”.

O futuro senador dá uma prova de que, para ele, a eleição ainda pesa e está acima dos interesses do povo mais humilde.

A PEC não é do Lula, assim como o cargo do Alan Rick não é dele. Ambos, são apenas representantes do povo, e ambos não deveriam ter outra prioridade, que não seja, O POVO.

Pelo visto, o futuro senador esqueceu isso. Será que sabia?

O poder dirigido pelo sentimento de vingança pode ser muito perigoso! Que bom seria se todos, realmente, saíssem do palanque e fossem trabalhar pela população!

Editado 26.12.2022
Em respeito as opiniões diversas e a democracia, o site Acre da Hora publica a opinião do nobre deputado federal Alan Rick, encaminhada a nossa redação.

DIREITO DE RESPOSTA DO DEPUTADO FEDERAL E SENADOR ELEITO ALAN RICK

O Deputado Federal e Senador Eleito Alan Rick vem a este espaço, em direito de resposta, prestar os esclarecimentos sobre a alegação de ter votado “contra o aumento do Salário-mínimo”:
É mentira que o parlamentar votou contra o salário-mínimo. No dia da publicação da notícia por este site (21 de dezembro de 2022), o Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA), que é o instrumento que fixa o valor do salário-mínimo, ainda não havia sido colocado em votação na Câmara dos Deputados. A apreciação do PLOA só ocorreu na tarde do dia 22 de dezembro de 2022, e o parlamentar votou favorável à matéria.

Esclarece também que a Proposta de Emenda à Constituição – PEC 32/2022, chamada de “PEC do LULA” nunca tratou sobre salário-mínimo.
Também é mentira que o parlamentar votou contra a manutenção dos “R$ 600 do Bolsa Família”. No dia 18 de dezembro de 2022, três dias antes da votação da referida Proposta de Emenda a Constituição (PEC), o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou que recursos destinados ao pagamento de benefícios sociais para garantir renda mínima aos brasileiros fique fora do Teto de Gastos. Na decisão, o magistrado permitiu ao Governo Federal abrir crédito extraordinário, via Medida Provisória, para garantir o pagamento do auxílio de R$ 600,00. A medida tornou a PEC desnecessária e daria, inclusive, maior segurança jurídica ao futuro Governo, eliminando o risco de incorrer em crime de responsabilidade fiscal.

Para além disso, a decisão liberou o montante para ser remanejado para outras ações no PLOA, como por exemplo, o aumento real do salário-mínimo, para o qual são necessários R$ 6.8 bilhões.
A verdade é que a PEC deu ao Governo um “cheque em branco” para gastar cerca de R$ 145 bilhões, gerando um déficit previsto para o país de R$ 231,5 bilhões, para o ano que vem.

Alan Rick Deputado Federal (UNIÃO/AC)

Foto: Sérgio Vale

Advertisement
Advertisement