Connect with us

Notícia

Campanha “Nunca é tarde” é lançada pelo Tribunal de Justiça do Acre para combater abuso sexual infantil

Published

on

O Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), por meio da Coordenadoria da Infância e Juventude (CIJ), lançou a campanha “Nunca é tarde” com o objetivo de interromper e prevenir o abuso, a exploração e a violência contra crianças e adolescentes. O evento de lançamento ocorreu no Palácio da Justiça, marcando o compromisso de diversas instituições na luta contra esses crimes.

Representantes dos três poderes do Estado, além do Ministério Público e da Defensoria, estiveram presentes e participaram da assinatura da Carta de Compromisso Institucional. Esta carta visa a realização de eventos e ações contínuas para combater crimes sexuais não só contra menores, mas também contra mulheres e pessoas LGBTQIA+. Dados do Anuário de Segurança Pública indicam que, em 2022, 60% dos casos de estupros no país envolviam crianças e adolescentes, com a maioria das vítimas sendo meninas, geralmente abusadas por pessoas conhecidas.

Advertisement

A presidente do TJAC, desembargadora Regina Ferrari, destacou a necessidade de uma ação unida para proteger os direitos das crianças e adolescentes. A campanha foi desenvolvida em colaboração com várias empresas de comunicação do Acre, que desempenharão um papel crucial na divulgação dos materiais educativos através de seus canais, incluindo televisão, rádio e sites.

A campanha também se alinha ao “Maio Laranja”, que busca otimizar as ações de combate a esses crimes, coincidindo com o Dia Nacional de Combate ao Abuso e a Exploração Sexual Infantil em 18 de maio. A mobilização inclui palestras, workshops e a criação de materiais informativos, destacando a importância da educação e da denúncia como ferramentas essenciais para a proteção infantil.

Vários órgãos públicos e entidades como o Instituto Federal do Acre (Ifac), o Conselho Estadual dos Direitos da Criança e Adolescentes, a Secretaria de Segurança Pública do Estado (Sejusp) e as polícias Civil, Federal e Militar também estão envolvidos, fortalecendo a Rede de Proteção à Infância no Estado.

O corregedor-geral da Justiça, desembargador Samoel Evangelista, e a vice-coordenadora da CIJ, juíza Andréa Brito, reiteraram a importância da vigilância e denúncia em casos suspeitos de violações de direitos, enfatizando que a responsabilidade de proteger crianças e adolescentes é compartilhada por todos na sociedade.

Advertisement

Continue Reading
Advertisement